PARE DE FUMAR

PARE DE FUMAR

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pastor é expulso da favela por não querer colaborar com o tráfico


Quando chegou à Favela de Vigário Geral, há dois anos, para trabalhar com evangelização na Igreja Pentecostal Deus é Amor, na comunidade, o pastor Odilon Calixto da Cunha, 32 anos, não imaginava que sua vida a partir dali se transformaria num inferno. Perseguido por traficantes, que não aceitavam o fato de ele não colaborar com o crime, o pastor e sua família foram expulsos da favela no domingo.

Depois de passar a noite com a mulher e os seis filhos sob a marquise de um supermercado em Duque de Caxias, o pastor procurou a 38ª DP (Brás de Pina). Na terça-feira, policiais foram à comunidade para que Odilon pudesse recuperar seus pertences. A casa de dois andares, tinha virado um dos ‘quartéis’ do bando: havia drogas, munição de fuzil e pistola, roupas camufladas e até uma granada abandonada pelos traficantes, que fugiram.
“Sei que não poderia ter este sentimento de revolta, mas quando meu caçula de dois anos me abraçou, sentindo frio, deitado na calçada, não pude querer outra coisa senão que todos eles sejam presos e paguem pela humilhação que nos fizeram passar. Foi muita covardia mandar minha mulher e meus filhos saírem de casa só com a roupa do corpo, sem poder almoçar a comida que estava no fogão. Quero que eles sofram”, desabafou.
Mineiro, Odilon chegou a Vigário Geral trazido por um outro pastor, que ele descobriu mais tarde, atuar como colaborador do tráfico. Comprou uma casa por R$ 12 mil e não queria que os filhos crescessem em meio a homens armados, mas só deixaria a comunidade depois que quitasse o pagamento do imóvel, que ainda não chegou à metade.
“Eles me criticavam porque eu não os apoiava. Certa vez, pediram para eu que socorresse um bandido ferido no meu carro, e eu disse que estava quebrado. Quiseram que eu levasse armas até Acari, e eu falei que jamais poderia fazer aquilo. Ofereceram frango de uma carga roubada, e não aceitei, mesmo só tendo feijão e arroz em casa. Eles diziam que outro pastor era um ‘braço’ deles e que, se eu não ajudava em nada, era porque tinha ligações com a polícia”, contou.
Polícia já tem pistas sobre três invasores da residência
No dia em que chegou a Vigário, Odilon foi ‘convidado’ a ir até a boca de fumo, onde teve que apresentar ao gerente geral do tráfico Carlos Eduardo Amorim de Oliveira, o Du Gordo, as certidões de nascimento das crianças, sua certidão de casamento, as passagens da viagem e a carteira que comprovava que era pastor.
O religioso pregava duas vezes por semana na favela e, nos outros dias, visitava comunidades, presídios ou igrejas fora da cidade. “Evitava passar perto deles, mas quando tinha que falar com os bandidos, chamava até de senhor. Meus filhos nunca brincaram na rua porque nosso mundo é muito diferente do deles, viemos da roça. Vi muita coisa triste, muita guerra, um inferno. As crianças nunca perceberam minha preocupação e agora, mesmo sem esquecer a humilhação, só quero ter paz”, disse ele, antes de carregar a Kombi que levou seus pertences para fora do Rio.
O pastor indicou os apelidos dos três bandidos que expulsaram a família, China, Pixinguinha e Átila. A polícia vai identificá-los para pedir a prisão por roubo, violação de domicílio, roubo no interior de residência, porte ilegal de arma e tráfico.


Resposta: PERGUNTAR NÃO OFENDE CADE A TURMA DOS DIREITOS HUMANOS SERÁ QUE NO RIO SÓ TEM DIREITO OS BANDIDOS ?

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Justiça condena falso padre que cobrava por orações no Cemitério do Araçá



Homem foi condenado a 3 anos de prisão por estelionato em SP.
Segundo a Igreja Católica, ele nunca foi ordenado padre.
O "monsenhor" Marcos Rodrigues Fontana, de 48 anos, foi condenado por estelionato pela Justiça por enganar fiéis no Cemitério do Araçá, um dos mais antigos da capital paulista, na Zona Oeste de São Paulo, onde se passava por padre da Igreja Católica Apostólica Romana para celebrar velórios.

Fontana cobrava entre R$ 50 e R$ 200 pela celebração do rito das exéquias (oração de despedida, com corpo presente) no Araçá. Ao longo de um ano, mais de 40 pessoas reclamaram à Arquidiocese de São Paulo, se sentindo enganadas pelo "monsenhor".

O falso padre foi condenado a três anos de reclusão pelo juiz Waldir Calciolari, da 25ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, pena substituída por prestação de serviços, com multa de R$ 2.325, destinada a entidades sociais. Na sentença, o juiz assinala que, ao abordar fiéis se passando por "católico", ele "induz as vítimas a erro, fazendo acreditar ser padre da Igreja Católica Apostólica Romana, condição que não ostenta".

O "monsenhor" - que nunca foi ordenado pela Igreja - abordava os fiéis no Araçá pouco antes dos velórios e, como justificativa à cobrança, dizia precisar para "pagar táxi" até São Miguel, na Zona Leste, onde ficaria sua paróquia "Santa Rita de Cássia", que não existe. Também afirmava manter creche no Centro de Juventude da Sociedade Amigos da Vila Progresso - que nunca recebeu nada do "monsenhor".
"Não se discute o direito de professar fé, entretanto não pode fazê-lo sem esclarecer que pertence a religião diversa", escreveu o juiz. Fontana afirma ser integrante da Igreja Católica Apostólica Reunida do Brasil, mas admitiu em juízo usar vestes da Igreja Romana. "Resta evidente má-fé com que agiu o acusado."

Para a arquidiocese, a punição serve como medida preventiva. "É importante a Justiça intervir para dificultar esse tipo de ação", disse o cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer. "Falsidade ideológica tem de ser punida."

Procurado, Fontana disse não atuar mais em cemitérios, mas que não tinha "nada a declarar". Nem ele, nem seu advogado, Osmar Campos, adiantaram se vão recorrer da decisão judicial

Resposta: Igreja Católica Reunida do Brasil , legal , porque se passa pela Romana , porque pedir em nome de uma creche e nunca repassar o donativo para as crianças , isto só tem um nome 171 , e para um sete um só tem um cantinho no mosteiro RECLUSÃO ...CANA...XILINDRO....VE O SOL NASCER QUADRADO .

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Evangélico espanca filha porque ela fazia chapinha no cabelo




Revoltado com a vaidade da filha, o evangélico Roberval Oliveira Santos, 54, brigou dentro da própria residência, com a filha, que estava fazendo chapinha. Depois de bater na menina acabou espancando também a esposa, Rosilda dos Santos, 51, que tentava segurar o marido. Além de espancar ele aprisionou a filha e a esposa na casa. O fato ocorreu na noite de anteontem. Vanessa dos Santos, 26, estava fazendo chapinha no cabelo, pois se preparava para sair, quando o pai chegou em casa e se demonstrou indignado com a vaidade de Vanessa. Pai e filha iniciaram uma discussão e ele começou a bater na moça. A mãe, Rosilda, se intrometeu para segurar o marido e impedir a violência contra a filha, e ele bateu nas duas e ainda as trancou dentro da casa, para que não fossem registrar queixa contra ele. Já na manhã de ontem elas conseguiram fugir da casa e foram direto para a Seccional do Paar para registrar ocorrência. Os policiais foram na residência do agressor, na alameda Altamira e efetuaram a prisão do evangélico. O delegado James Moreira autuou Roberval de acordo com a lei Maria da Penha.



Resposta: Sem comentários ,esse criatura quer viver na LEI então cana nele e jogue fora a chave da cela dele...... e para terminar VAI SE CONVERTER .

sábado, 21 de novembro de 2009

BIG BAND JAZZ COM CRISTO NO BAIRRO NOVO HORIZONTE

Obrigado Senhor Jesus pela realização do nosso projeto mais uma vez ,obrigado Senhor pelas almas que ouviram a sua palavra até Dezembro na Praça Arnolfo da Azevedo











A HORA DA CANJA DO PASTOR ESTÁ UM SUCESSO

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Motorista é suspenso após insistir para passageiros rezarem em ônibus público



Oração improvisada no ônibus público durou cerca de quatro minutos.
Autoridades de Atlanta (EUA) suspenderam o condutor por cinco dias.O motorista de ônibus LeRoy Matthews foi suspenso em Atlanta, no estado da Geórgia (EUA), após insistir que seus passageiros rezassem com ele dentro do veículo público, segundo reportagem da emissora "WSBTV" As autoridades locais suspenderam o motorista por cinco dias após os passageiros relatarem que ele parou o ônibus, pediu a todos que dessem as mãos e rezassem.
Segundo Christopher James, um dos passageiros, a oração improvisada no ônibus público durou cerca de quatro minutos.


Resposta: Fazer o que ! Valeu parceiro a sua oração foi aceita ... I CORÍNTIOS 2 . 14 Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

domingo, 8 de novembro de 2009

Fiéis sofrem intoxicação durante missa dominical na França


Cerca de 80 pessoas foram atendidas com dores de cabeça e enjôo.
Causa pode ter sido defeito no sistema de aquecimento da igreja.
Meninas recebem oxigênio após sofrerem intoxicação por monóxido de carbônio durante missa dominical na igreja de Saint-Cyr, em Angres, na França
Idosos que participavam da missa também recebem oxigênio; cerca de 80 pessoas deixaram a igreja com dores de cabeça e enjôo. Segundo a prefeitura, um problema no sistema de aquecimento da igreja pode ter provocado o vazamento de gás

Resposta: Glórias a Deus que não houve vitima fatal .

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Maior parte das fraturas dos idosos ocorre dentro de casa, diz pesquisa


IELS-MINISTÉRIO DA 3ª IDADE
INFORMATIVO – NOTICIA PUBLICADA NO JORNAL O GLOBO
Maior parte das fraturas dos idosos ocorre dentro de casa, diz pesquisa
RIO - A maior parte das fraturas dos idosos ocorre dentro de casa, mais especificamente no banheiro, e durante o dia. Os dados são de uma pesquisa feita por ortopedistas em vários hospitais do Rio de Janeiro e serão apresentados no 41º Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia, neste sábado, no RioCentro. Foram ouvidos 174 idosos com mais de 65 anos que sofreram fraturas, sendo que do total 75% eram mulheres: quase 30% quebraram o fêmur; 52% sofreram a queda em casa; e 18% caíram no banheiro.
- O fato de a maioria ser mulher chama a atenção para o problema da osteoporose. Outro ponto que merece ser levado em conta é que a maioria dos tombos foi durante o dia, o que nos leva a concluir que deve ter sido na hora do banho. Deixar o banheiro um local mais seguro é fundamental - explica o presidente do congresso, Renato Graça, que diz que o asilo de idosos Lar de São Francisco, no Rio, será reformado com base no que deve ser a "casa segura" a partir de recursos arrecadados pela comissão social do evento.
As medidas para tornar um lar seguro devem começar por escolher piso antiderrapante para o banheiro, não ter degrau na entrada do Box, usar barras laterais no Box do chuveiro e preferir vasos sanitários mais altos, que exijam menos esforço do idoso para se levantar.
- E, na casa, os móveis devem ser sem quina, com curvas arredondadas - explica o especialista.
Os locais onde também ocorreram tombos com frequência foram no quintal da casa e no quarto.
IELS - Ministério da 3ª Idade – Idosos Temos que Amar e Respeitar Rua Barão de Cotegipe 161 Vila Isabel- RJ Tel 2577-3842 E-mail: igrejalivresol@globo.com