PARE DE FUMAR

PARE DE FUMAR

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Usuários de drogas sofrem maus tratos em clínicas de tratamento






BRASÍLIA - O Conselho Federal de Psicologia (CFP) divulgou nesta segunda-feira um relatório mostrando a situação de calamidade dos estabelecimentos para internação de usuários de drogas. Nas visitas, foram identificadas irregularidades, como castigos físicos, tortura, falta de higiene, trabalho forçado, preconceito contra homossexuais, obrigação de seguir religiões específicas, impedimento de comunicação com o mundo externo, exposição a situações de humilhação e falta de alimentação apropriada. O documento é resultado de vistorias realizadas em 68 instituições de 24 unidades da federação nos dias 28 e 29 de setembro. As clínicas são privadas, mas algumas têm convênio com o poder público. Na avaliação do conselho, o modelo de tratamento de dependentes praticado nos estabelecimentos é uma violação à Lei Antimanicomial, que prega a integração social e familiar do dependente ao longo do tratamento, e não o isolamento.
Um dos locais que mais chocou o conselho foi a Comunidade Terapêutica Grupo Oficina da Vida, em Teresina (PI). Como punição para o descumprimento de regras internas, os pacientes são obrigados a cavar um buraco de três metros por três em terreno pedregoso e depois cobrir de novo com terra. Na Shalom and Life, em Macaé (RJ), os pacientes são compelidos a carregar uma pedra dentro de um saco plástico como forma de reconhecimento de sua culpa.
Na Comunidade Nova Jericó, em Marechal Deodoro (AL), é preciso rezar a Ave Maria como punição por eventuais desobediências. Há também quartos de isolamento, onde a pessoa fica sem luz e sem ventilação pelo tempo em que os funcionários determinam, dependendo da falta cometida.



Os adolescentes ficam nos mesmos espaços dos adultos. Se um paciente quiser usar o telefone, precisa ser acompanhado por um funcionário. A Amparu – Comunidade Terapêutica Vida Serena, em Várzea Grande (MT), é uma instituição evangélica onde os pacientes são obrigados a assistir ao culto. Lá, a prática é a chamada "Aprendizagem Rápida", que consiste em acordar o interno às 4h da manhã para ele capinar um terreno por duas horas, sem intervalo para descanso.



O Lar Cristão, em Cuiabá (MT), é uma instituição evangélica onde as pacientes são obrigadas a seguir as regras do local – que são as mesmas da igreja Assembleia de Deus. Quem se recusa a obedecer fica sem refeição até mudar de ideia.Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/usuarios-de-drogas-sofrem-maus-tratos-em-clinicas-de-tratamento-3342148#ixzz1f67dAXmy .






Resposta; Campanha SUJA que o Presitente do Conselho Federal está fazendo contra as Comunidades Terapêuticas principalmente as evangélicas , por que será ! Tem alguma coisa de podre por de trás desta campanha .

Aids: aumenta o número de jovens homossexuais infectados



SÃO PAULO - O distanciamento de uma realidade em que soropositivos morriam quase sem assistência, até meados dos anos 1990, e o desconhecimento sobre os cruéis efeitos colaterais do tratamento hoje disponível podem explicar o aumento do número de pessoas infectadas com Aids, especialmente entre jovens homossexuais. O diretor do Instituto Emílio Ribas, o infectologista David Uip, acredita que a nova geração banaliza a doença porque acredita que ela não mata. A geração atual não viu o que aconteceu até o meio dos anos 1990, então banalizou a doença.



A incidência aumentou entre gays ou heterossexuais pelo mesmo motivo: as pessoas acreditam que viverão normalmente com a doença, o que é um mito.
(Fonte O GLOBO)Leia mais sobre esse assunto em
http://oglobo.globo.com/pais/aids-aumenta-numero-de-jovens-homossexuais-infectados-3344225#ixzz1f65g2d3e



Resposta: Com a palavra o Grupo de Defesa do Gays aqueles que ficam querendo calar a pouca dos pastores dos padres dos chefes de familias

sábado, 26 de novembro de 2011

CAPELANIA NA RUA -ULTIMA EDIÇÃO 2011 VILA BRITO



O bairro Vila Brito recebeu a ultima edição 2011 da CAPELANIA NA RUA como Capelão Coordenador quero agradecer primeiramente a Deus ,ao nosso Pastor do Campo Milton Gomes de Souza pela confiança depositada na equipe da capelania da Assembléia de Deus Igreja Mãe Campo Lorena , quero agradecer aos parceiros Prefeitura Municipal de Lorena Faculdade de Enfermagem da FATEA , Faculdade de Psicologia da UNISAL, COMAD-Lorena, ADBPAR-Lorena ,Lorena pela Vida , UNIPAS ,Lorenenses Contra a Dengue , Bangaloo Artigos de Festas e ao nosso patrocinador FAMA PETROLEO .
Em 10 de Março de 2012 estaremos de volta com o projeto a 1ª edição será no Parque Rodovias e teremos mais novidades .
Agora boas férias aos alunos da Fatea e Unisal e que Deus abençoe a todos que participaram deste projeto social.





RELATÓRIO DE ATENDIMENTO GERAL 2011

601 PRESSÃO ARTERIAL
115 Glicose (Teste)
______________________
Total 716 Atendimentos de Enfermagem

1214 Casas Visitadas Distribuição de Material Informativo DST e DENGUE

164 Aconselhamentos Jurídico Empresarial e Espiritual

62 Consultas Terapêuticas PARE DE FUMAR AGORA

216 Pessoas Abordadas no EVANGELISMO DE ABORDAGEM

1618 Crianças participaram do Lazer (PULA PULA)

Total de Edições : 07 ( sábados 15/8-03/09-17/09-01/10-22/10-05/11 e 26/11)

Das 9:00 as 12.00

Total de Horas : 21 horas





sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Marisa Lobo critica presidente do CFP por atacar comunidades terapêuticas






Marisa Lobo, psicóloga cristã, voltou a criticar o Conselho Federal de Psicologia (CFP). Marisa já debate com o CFP sobre o apoio dado ao kit gay, “com cenas obscenas”, na opinião de Marisa. Mas desta vez a psicóloga acusa o presidente do CFP, Humberto Verona, de estar atacando as comunidades terapêuticas cristãs em defesa dos usuários de drogas
“Pesquisas comprovam que o índice de recuperação em clínicas, em Centros de Atendimento Psicanalíticos (CAPs), não passam de 2 a 6 % no máximo, enquanto que em comunidades terapêuticas( religiosas) esse índice sobe para 32 a 42%”, segundo informa a psicóloga em seu blog.
“O que me assusta, é um Conselho de Psicologia com total desconhecimento de tratamento e prevenção às drogas. São profissionais que não devem ter tido nenhuma experiência concreta e real com tratamento, além de teorias falíveis, que podem com a morosidade de seu tratamento levar o individuo a morte, pois em se tratando de crack, oxi, cristal a morte está muito próxima, e talvez somente o tratamento em consultório de psicologia, sem um internamento compulsório, pode não ajudar”, acrescenta Marisa.
No texto publicado em seu blog, Marisa crítica à representação do CFP, alegando que o mesmo tem se manifestado em nome dos psicólogos de todo o Brasil, mas com o apoio de uma minoria e ignorando o fato da grande maioria ser contra este tipo de militância.
Para Marisa Lobo, a ministra, chefe da casa civil, Gleisi Hoffman é a que mais tem se empenhado em colocar as comunidades terapêuticas no plano do governo no combate as drogas.
Marisa Lobo fundou recentemente o CPPF, Corpo de Psicólogos Pró-família, em Manaus, e já tem cerca de 67 psicólogos que discutem esses temas, que ela chama de desmandos do conselho. (FONTE O VERBO)




Leia o texto na integra no blog da psicóloga Marisa Lobo
http://marisalobo.blogspot.com/2011/11/psicologa-marisa-lobo-acusa-presidente.html









RESPOSTA: Vamos trabalhar em Nome de Jesus.

domingo, 20 de novembro de 2011

Falcão vive pastor na comédia 'Um Assalto de Fé', diz jornal






Estréia no dia 2 de dezembro o filme Um Assalto de Fé, que fala de uma fictícia igreja evangélica que faz de tudo para pegar dinheiro dos fiéis. O cantor Falcão vive o pastor Rick, que tenta de todas as formas conseguir o dízimo de seus seguidores. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.
A comédia também fala de uma gangue que planeja roubar a igreja, tendo como líder Galinha Preta, interpretado por Alexandre Carlos, vocalista da banda Natiruts. Este é o primeiro filme de Cibele Amaral, que afirmou que nos testes de audiência a história foi bem aceita pelos evangélicos.

Resposta: Falcão vivendo um pastor meu Deus senhores pastores veja o nosso testemunho a obsessão por dízimos e ofertas está demais a ponto de virar filme.

SP vai ganhar mais clínicas para viciados em crack com apoio da União






O Ministério da Saúde irá apoiar o governo do Estado de São Paulo e a prefeitura da capital paulista no combate ao crack e outras drogas. Para isso, a União irá ajudar a implantar clínicas para internação de dependentes químicos no Estado e na cidade de São Paulo, enfermarias especializadas em álcool e outras drogas, ações de prevenção e promoção de saúde como consultórios de rua, além do fortalecimento de parcerias com comunidades terapêuticas. A ação integrada foi acertada nesta quarta-feira (6), em Brasília, durante reunião entre o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, Giovanni Guido Cerri, e o prefeito Gilberto Kassab. Além de São Paulo, já foram realizadas reuniões com representantes dos Estados de Pernambuco, Bahia, Distrito Federal e Rio de Janeiro. Um dos pontos principais da nova estratégia é a definição de parâmetros para a implantação e financiamento dos Caps (Centros de Atenção Psicossocial). Também será destacada a integração dos serviços de atendimento aos dependentes químicos, desde a atenção básica (incluindo o atendimento de rua por meio dos consultórios, passando pelas Casas de Acolhimento Transitório), até os hospitais (atendimento mais complexo). Há ainda o reforço das ações de reinserção do usuário na sociedade, de redução de danos provocados pelo consumo de drogas e da prevenção com foco nas populações mais vulneráveis.

Governo vai aumentar consultórios móveis para atendimento a usuários de drogas






O ministro da Saúde Alexandre Padilha disse no sábado (19), em São Bernardo do Campo (SP), que o governo federal vem estudando um conjunto de ações envolvendo vários ministérios para lançar, em breve, um plano amplo de enfrentamento ao crack e outras drogas, que inclui o serviço de consultórios móveis – também chamados de consultórios de rua - especializados no primeiro atendimento aos usuários de drogas. - Uma das estratégias são os consultórios nas ruas. Haverá profissionais [de saúde] em unidades móveis que irão para as ruas, sobretudo onde tem as cracolândias ou cenas de usos [de drogas], para fazer uma busca ativa nessas pessoas que são dependentes químicas, oferecendo tratamentos para elas.
Padilha participou do 7º Congresso do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.
Segundo o ministro, 80 consultórios de rua já estão atuando nos grandes centros do país, e a expectativa é de o programa ser levado para outras cidades.
- Os consultórios nas ruas vão avaliar se a pessoa tem indicação de internação, se ela tem risco de vida. Sou absolutamente contra qualquer política de recolhimento compulsório. Isso não é feito pelo pessoal de saúde, mas por policiais que, as vezes, não estão preocupados sobre em qual lugar essa pessoa vai ficar. Temos a política de fazer uma busca ativa [por dependentes]. Em cada cidade, esse modelo estará adaptado à sua realidade. O ministro declarou ainda que os consultórios de rua serão instalados em todas as cidades do ABC Paulista e também na capital.
- Na conversa que tivemos com o prefeito [Gilberto] Kassab e com as secretarias municipal e estadual de saúde, acreditamos que houve interesse da prefeitura em apoiar a melhoria da rede de saúde, sobretudo as ações de sair em busca ativa, onde as pessoas estejam. O Ministério da Saúde quer ajudar o município a ter mais médicos, enfermeiros e profissionais nas ruas exatamente para que a primeira abordagem seja feita por profissionais de saúde. Segundo Padilha, a presidenta da República Dilma Rousseff tem exigido que esse novo plano de enfrentamento ao crack consista em uma ação conjunta, envolvendo os ministérios da Justiça, Educação e do Desenvolvimento Social, além da Saúde.
- A presidenta tem exigido que esse plano tenha ações de vários ministérios. A presidenta Dilma, a ministra-chefe da Casa Civil [Gleisi Hoffmann] e o ministro da Justiça [José Eduardo Cardozo] têm coordenado esse detalhamento do plano. Queremos um plano que não seja só um anúncio de ações, mas medidas acontecendo de imediato.
Ele não detalhou quando o plano será lançado.
Durante discurso, o ministro falou também da necessidade dos estados “apertarem a fiscalização” sobre a Lei Seca, proibindo que pessoas alcoolizadas dirijam.
- Se bebeu, não pode dirigir. Os estados que apertaram a fiscalização, como é o caso do Rio de Janeiro, reduziram em quase 30% os acidentes de carro e de moto.
Ao final Padilha destacou a necessidade de discutir formas de financiar a saúde no país e sugeriu que esse debate seja feito junto com a reforma tributária.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Governo faz última blitz antes de começar






O governo do Estado de São Paulo promove, nesta sexta-feira (18), uma grande blitz educativa da lei antiálcool para menores de idade. A ação irá ocorrer na capital, interior e litoral paulista. Esta é a última blitz antes de ser iniciada a fiscalização com aplicação de multas, marcada para começar no sábado 19.
Cerca de 500 fiscais da Vigilância Sanitária Estadual e do Procon-SP irão percorrer estabelecimentos comerciais das principais cidades paulistas para orientar comerciantes sobre os objetivos da nova legislação estadual, que proíbe a venda, oferecimento e o consumo de bebidas alcoólicas no interior dos estabelecimentos por adolescentes, mesmo que acompanhados de pais ou responsáveis maiores de idade. Antes, se um adulto comprasse a bebida e a repassasse a um menor dentro do bar, o dono não tinha qualquer responsabilidade.
Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que agentes foram especialmente capacitados para realizar a fiscalização. Eles receberam materiais informativos e foram treinados sobre a nova legislação, suas atribuições, aspectos jurídicos, formas de abordagem dos proprietários e responsáveis pelos estabelecimentos e procedimentos para a aplicação das penalidades previstas em caso de descumprimento da lei. Um balanço parcial da secretaria aponta que cerca de 12 mil estabelecimentos paulistas foram visitados nas blitz educativas. Durante as ações, os responsáveis foram orientados a responder um questionário, no qual indicavam as principais dúvidas relacionadas à nova lei. (FONTE R7.COM)




ALOOOOOOOOO QUERO VER SABADO E NO DOMINGO A FISCALIZAÇÃO AQUI EM LORENA PRINCIPALMENTE NA PRAÇA ARNOLFO DE AZEVEDO
ALO GAROTADA TUBÃO E COISA DE BUNDÃO

sábado, 12 de novembro de 2011

crack eu proíbo trazer crack para a Rocinha. Porque isso destrói as pessoas

Aguardei por três horas, fui levada a diferentes lugares. Meus intermediários estavam nervosos porque “cabeças rolariam se tivesse um botãozinho na roupa para gravar ou uma câmera escondida”. Cheguei a perguntar: “Não está havendo uma inversão? Não deveria ser eu a estar nervosa e com medo?”. Às 21 horas, na garupa de um mototáxi, sem capacete, subi por vielas esburacadas e escuras, tirando fino dos ônibus e ouvindo o ruído da Rocinha, misto de funk, alto-falantes e televisores nos botequins. Cruzei com a loura Danúbia, atual mulher de Nem, pilo-tando uma moto laranja, com os cabelos longos na cintura. Fui até o alto, na Vila Verde, e tive a primeira surpresa.Não encontrei Nem numa sala malocada, cercado de homens armados. O cenário não podia ser mais inocente. Era público, bem iluminado e aberto: o novo campo de futebol da Rocinha, com grama sintética. Crianças e adultos jogavam. O céu estava estrelado e a vista mostrava as luzes dos barracos que abrigam 70 mil moradores. Nem se preparava para entrar em campo. Enfaixava com muitos esparadrapos o tornozelo direito. Mal me olhava nesse ritual. Conversava com um pastor sobre um rapaz viciado de 22 anos: “Pegou ele, pastor? Não pode desistir. A igreja não pode desistir nunca de recuperar alguém. Caraca, ele estava limpo, sem droga, tinha encontrado um emprego... me fala depois”, disse Nem. Colocou o meião, a tornozeleira por cima e levantou, me olhando de frente.
Drogas “Não uso droga, só bebo com os amigos. Acho que em menos de 20 anos a maconha vai ser liberada no Brasil. Nos Estados Unidos, está quase. Já pensou quanto as empresas iam lucrar? Iam engolir o tráfico. Não negocio crack eu proíbo trazer crack para a Rocinha. Porque isso destrói as pessoas, as famílias e a comunidade inteira. Conheço gente que usa cocaína há 30 anos e que funciona. Mas com o crack as pessoas assaltam e roubam tudo na frente.”
Recuperação “Mando para a casa de recuperação na Cidade de Deus garotas prostitutas, meninos viciados. Para não cair na vida nem ficar doente com aids, essa meninada precisa ter família e futuro. A UPP, para dar certo, precisa fazer a inclusão social dessas pessoas. É o que diz o Beltrame. E eu digo a todos os meus que estão no tráfico: a hora é agora. Quem quiser se recuperar vai para a igreja e se entrega para pagar o que deve e se salvar.” (fonte Época Ruth de Aquino)


Resposta: Sem comentário




sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Curso Gratuito e Online de Prevenção de Drogas para Pais


Primeiro Curso Gratuito e Online de Prevenção de Drogas para Pais do Brasil - http://www.paisconectados.org/

Inca: 7 orientações para reduzir morte por câncer de mama



Sete recomendações do INCA para o câncer de mama:
Instituto recomenda que, uma vez diagnosticada a doença, tratamento comece em até 3 meses. Guia, sem força de lei, visa melhorar sobrevida de pacientes

1. Toda a mulher com diagnóstico de câncer de mama confirmado deve iniciar seu tratamento o mais breve possível, não ultrapassando o prazo máximo de 3 meses.
Estudos científicos mostram que atraso superior a três meses entre o diagnóstico e o início do tratamento do câncer de mama comprometem a expectativa de vida da mulher (sobrevida).

2. Quando indicado, o tratamento complementar de quimioterapia ou hormonioterapia deve ser iniciado no máximo em 60 dias e o de radioterapia no máximo em 120 dias.
O prazo para o início do tratamento complementar é um componente crítico no cuidado do paciente com câncer de mama. Atrasos no início do tratamento complementar aumentam o risco de recorrência local da doença e diminuem a sobrevida. Em algumas situações de tratamento com quimioterapia, a radioterapia pode ocorrer apos os 120 dias.

3. Toda mulher com câncer mama deve ter seu diagnóstico complementado com a avaliação do receptor hormonal.Os receptores hormonais são proteínas que se ligam aos hormônios mediando seus efeitos celulares. A avaliação é feita no material da biópsia que medirá um percentual dos receptores nas células tumorais. A dosagem desses receptores permite identificar as mulheres que irão se beneficiar do tratamento complementar chamado hormonioterapia. A presença de receptores hormonais nos tumores de mama é alta na população e aumenta com a idade.
4. Toda mulher com câncer de mama deve ser acompanhada por uma equipe multidisciplinar especializada que inclua médicos (cirurgião, oncologista clínico e um radioterapeuta), enfermeiro, psicólogo, nutricionista, assistente social e fisioterapeuta.O câncer de mama é uma doença complexa cujo tratamento requer a cooperação de diferentes profissionais e saberes. A experiência mundial aponta que serviços que oferecem uma abordagem multidisciplinar e multiprofissional têm melhor desempenho no tratamento do câncer de mama.
5. Toda mulher com câncer de mama deve receber cuidados em um ambiente que acolha suas expectativas e respeite sua autonomia, dignidade e confidencialidade.Acolher as mulheres em suas necessidades nas diferentes etapas do tratamento, por meio de abordagem humanizada que respeite seus direitos, possibilita um melhor enfrentamento da doença.
6. Todo hospital que trata câncer de mama deve ter Registro de Câncer em atividade. Os Registros Hospitalares de Câncer coletam informações essenciais para acompanhar, monitorar e avaliar a qualidade do tratamento oferecido à mulher. As informações dos Registros subsidiam a implementação de políticas e ações de melhoria contínua na busca de padrões de excelência no tratamento.
7. Toda mulher com câncer de mama tem direito aos cuidados paliativos para o adequado controle dos sintomas e suporte social, espiritual e psicológico.O câncer é uma doença que fragiliza seu portador e familiares em diferentes dimensões da vida. O suporte social, espiritual e psicológico para os pacientes e familiares fortalece os sujeitos para o enfrentamento da doença.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

AJUDE A AJUDAR



MEUS AMIGOS VAMOS PRATICAR LIBERALIDADE E BONITO DE FALAR FACIL DE FAZER MAIS DIFICIL DE PRATICAREstou precisando da sua ajuda para acabar de contruir a cozinha do CENTRO SOCIAL ADBPAR (www.adbpar.blogspot.com)essa cozinha vai combater a fome de pelos menos 300 famlias dia com o SOPÃO COMUNITÁRIO me liga (12-9719-7720 ou 8203-0567)e diga pastor vou praticar LIBERALIDADE vou SEMEAR FAÇA SEU OFERTA DE AMOR CAIXA ECONOMICA FEDERAL Agência 319 OP 13 C/C 11618-8 ITAÚ Agência 0247 C/C 00872-5