PARE DE FUMAR

PARE DE FUMAR

sábado, 17 de outubro de 2015

Coroinha grávida do PADRE

Coroinha grávida de padre inventou estupro quando mãe percebeu barriga

Padre foi afastado pela Arquidiocese de Campo Grande no fim de setembro.
Adolescente de 16 anos e padre dizem que sexo era de comum acordo.


Padre é afastado em Campo Grande suspeita de engravidar adolescente (Foto: Reprodução/TV Morena)
Quando começaram a aparecer os primeiros sinais da gravidez, a coroinha de 16 anos, que se envolveu com o padre Jocerlei José Tavares, 44 anos, escondeu da família o relacionamento com o líder religioso e disse que tinha sido vítima de estupro. A informação foi repassada ao G1 pela delegada Daniella Kades, que investiga o caso em Campo Grande.
Segundo a delegada, depois de ser questionada pela família, a garota acabou contando a verdade.
“A mãe teria observado que a barriga da menina estava grande e os pés inchados. Ao ser interpelada, a adolescente, num primeiro momento, mentiu para a família, afirmando que teria sido vítima de estupro e quando acabou sendo pressionada veio a dizer que, de fato, estaria grávida, mas não queria dizer de quem. Então, após muita pressão acabou revelando o nome do pai da criança como sendo o padre”, informou Daniella Kades.
As investigações apontaram que o padre e a coroinha se encontravam desde o fim de novembroem motéis de Campo Grande. O líder religioso foi afastado das funções pela Arquidiocese de Campo Grande.
O caso foi denunciado à Polícia Civil como estupro pela família da garota no dia 25 de setembro e o inquérito instaurado pela DEPCA cinco dias depois para apurar a denúncia. Até o momento, foram ouvidos a coroinha, mãe e a irmã da adolescente e o padre e, por enquanto, não foi constatado crime, segundo a polícia.
"Ela informou que os relacionamentos sexuais tiveram início depois dela completar 16 anos de idade, caso em que não há nenhuma caracterização criminosa. Mesmo assim instauramos inquérito nessa hipótese. E sendo verificado que, de fato, os relacionamentos tiveram início apenas após essa idade, não haverá nenhuma configuração criminosa e o inquérito será enviado ao Ministério Público solicitando arquivamento", esclareceu a delegada.
Investigação
A polícia vai ouvir ainda duas tias da garota, apontadas pela mãe como testemunhas de que o padre poderia ter coagido a adolescente a manter relações sexuais com ele. A delegada diz que também aguarda laudos do Instituto de Criminalística que vai apurar o conteúdo das mensagens que o padre trocava com a menina.
"Caso isso se verifique, através dos depoimentos, das mensagens e de uma possível segunda oitiva da vítima, aí sim poderá ser mudada a tipificação penal, caso reste configurado que a vítima, de fato, foi coagida ao ato [sexo]", ressaltou a delegada.
Afastamento
A Arquidiocese de Campo Grande anunciou, no dia 29 de setembro, o afastamento do padre, que exercia funções na paróquia Santa Rita de Cássia, por suspeita de envolvimento amoroso com adolescente, que está grávida. O comunicado de afastamento foi assinado pelo arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa.
Segundo a publicação, o padre vai oferecer assistência à adolescente e ao bebê. Ainda conforme o comunicado, ele era membro da Província Nossa Senhora Conquistadora dos Padres e Irmãos Palotinos de Santa Maria (RS) e até então exercia funções de vigário paroquial da Paróquia Santa Rica de Cássia, na capital de Mato Grosso do Sul, ecônomo da Arquidiocese e secretário executivo do regional oeste 1 da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil.
RESPOSTA: Comentar o que ...nada o bicho é macho .....

Nenhum comentário:

Postar um comentário