PARE DE FUMAR

PARE DE FUMAR

terça-feira, 15 de setembro de 2009

PM vai se explicar às mulheres


Comandante do 9º BPM disse a site que corporação ‘não é para elas’
Rio - Dezenas de mulheres de todos as patentes da Polícia Militar vão se reunir esta semana no Quartel-General da corporação, no Centro, para ouvir explicações do comandante do 9º BPM (Rocha Miranda), coronel Edivaldo Camelo da Costa. Uma declaração dele publicada em julho no blog universitário ‘Jiló Press’ provocou polêmica entre a tropa feminina. De acordo com o site, o oficial disse, em um dos trechos da entrevista, que “a Polícia Militar não é um serviço adequado para as mulheres.”

Na entrevista — que aborda vários assuntos com o então recém-empossado comandante do 9º BPM —, Camelo diz que não vê problema em as unidades serem chefiadas por mulheres, mas que, em alguns batalhões, o comandante tem que entrar na favela e enfrentar os mesmos desafios da tropa. “Se a Polícia Militar fosse uma empresa privada, você contrataria uma mulher? Porque se fosse, você visaria ao lucro, ao trabalho. Então, a mulher não poderia fazer algumas coisas, como entrar na favela, trabalhar em radiopatrulha. Entendo a modernidade, mas a mulher não consegue fazer a mesma coisa que o homem faz. Adoro e sou dependente delas, mas a Polícia Militar não é um serviço adequado para as mulheres”, teria afirmado o comandante.
MULHER À FRENTE DE INCURSÃO

Fuzil na mão e à frente do contingente de 100 homens que subiram o Morro da Mangueira na semana passada, a comandante do 4º BPM (São Cristóvão), tenente-coronel Solange Helena do Nascimento Vieira, mostrou a que veio. Para ela, o fato de ser mulher não muda a essência do policial.

“Quando ingressamos na corporação, sabemos que nosso trabalho é a atividade operacional, o combate à criminalidade. Cada um tem a sua opinião, mas mostramos que estamos aqui para fazer um bom trabalho”, disse a oficial

Opinião semelhante tem a comandante do 13º BPM (Praça Tiradentes), tenente-coronel Edite Bonfadini. “Se o comando-geral acredita no nosso trabalho, quem pode julgar? Não estaria na PM há 27 anos se meu lugar não fosse aqui”, ressalta ela.

O comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, disse ontem que a ideia de reunir as policiais foi do próprio Camelo. “Ele solicitou essa reunião, em que vai deixar claro para elas que tudo não passou de um mal entendido”, disse Mário Sérgio, assumidamente a favor das mulheres no poder.

‘Tenho que pedir desculpas’

O coronel Camelo explicou ontem que a declaração foi uma grande confusão. “Fiquei chateado. Já pedi desculpas a várias colegas por esse mal-entendido”, disse o oficial.

“Bati um papo informal com os estudantes, que me pediram ajuda para um trabalho de faculdade. Nunca pensei que seria publicado, que viraria reportagem. Tenho que pedir desculpas por externar opiniões que jamais deveriam ser ditas à imprensa. Se fosse contra o trabalho delas, não teria mulheres na minha equipe”, acrescentou o comandante do 9º BPM.


RESPOSTA: Não é só na PM que o machismo existe na Igreja também ,tem denominação que não aceita PASTORA em seu ministério , mais isso tem motivo eles sabem que elas pastoram melhor que muito PASTOR ASSEMBLÉIANO .

Nenhum comentário:

Postar um comentário