PARE DE FUMAR

PARE DE FUMAR

quarta-feira, 29 de abril de 2015

30 MINUTOS ENTRE O INFERNO E O CÉU "Por que a Indonésia não executou a filipina acusada de tráfico de drogas"

acusada de tráfico de drogas

No último minuto, as autoridades indonésias decidiram poupar a vida de Mary Jane Veloso, de 30 anos, das Filipinas

REDAÇÃO ÉPOCA
28/04/2015 16h06 - Atualizado em 28/04/2015 16h32

A filipina Mary Jane Veloso, 30 anos, condenada à morte por tráfico de drogas na Indonésia (Foto: EFE/Bimo Satrio)
O governo da Indonésia executou, em pelotão de fuzilamentooito pessoas na tarde desta terça-feira (28), madrugada de quarta-feira no país. Entre os executados está o brasileiro Rodrigo Gularte. Mas o que chamou a atenção, no entanto, é que, no último minuto, as autoridades indonésias decidiram poupar a vida de Mary Jane Veloso, de 30 anos, das Filipinas. Quem é Mary Jane, e o que levou um governo tão resoluto em executar traficantes a poupar um dos condenados?
Mary Jane não teve uma vida fácil. Ela deixou a escola quando ainda estava no ensino fundamental. Se casou aos 16 anos e, anos depois, foi abandonada pelo marido com dois filhos pequenos e nenhuma condição financeira para sustentar as crianças. "Nós vivíamos de recolher garrafas e latas na rua para vender para a reciclagem", disse Marites Laurente, irmã de Mary Jane, ao jornal The New York Times. Eles viviam em uma casa de madeira, na estrada, em Cabanatuan, cidade próxima da capital Manila.
Segundo a família, em abril de 2010 ela recebeu uma oferta de emprego para trabalhar como empregada doméstica na Malásia. O trabalho não exigia qualificação e o salário era bom. Ela colocou todos seus pertences em uma mochila infantil e viajou junto com a recrutadora para Kuala Lumpur. Ao chegar lá, no entanto, lhe disseram que o emprego fora cancelado – mas que tinha outro, similar, na Indonésia. Ainda segundo o relato dos familiares, a recrutadora comprou novas roupas, uma nova mala, e ela embarcou, desta vez sozinha, para a Indonésia. Quando chegou ao aeroporto de Yogyakarta, foi barrada pelas autoridades, que encontraram2,6 quilos de heroína na mala.
A promotoria disse que Mary Jane sabia que estava transportando droga e, por isso, pediu apena de morte. O julgamento, ao menos para a filipina, foi confuso. Seu advogado tinha um inglês muito limitado, e ela mesma não entende bem o inglês, que apesar de ser reconhecido como língua oficial nas Filipinas, não é tão falado quanto as línguas regionais. Ela também não teve tradutor disponível na hora de prestar depoimento às autoridades, o que claramentecompromete o direito à defesa. Ainda assim, em outubro de 2010, foi condenada à morte.
Imigrantes que trabalham na Indonésia acendem velas em homenagem a Mary Jane Veloso, das Filipinas. Ela foi condenada a morte por tráfico de drogas (Foto: EFE)
O caso provocou indignação nas Filipinas. O presidente das Filipinas, Benigno Aquino, fez três apelos para que a Indonésia adiasse a execução. O governo do presidente Joko Widodo, que foi eleito com uma plataforma de guerra às drogas, recusou todos. Familiares fizeram manifestações em Manila, e trabalhadores imigrantes na Indonésia também se manifestaram.Nada parecia comover as autoridades do país.
A sorte de Mary Jane só mudou na última hora. Sua família já tinha sido avisada da execução quando, nas Filipinas, uma mulher alegando ser a aliciadora de Mary Jane se entregou à polícia, nesta terça-feira. "A execução foi adiada por um pedido do presidente das Filipinas, que disse que uma traficante de pessoas se entregou com relação ao caso", disse Tony Spontana, porta-voz da Procuradoria da Indonésia, segundo o Jakarta Post. Segundo ele, a traficante, identificada como Maria Kristina Sergio, alega ser a pessoa que aliciou Mary Jane.
Antes de saber da notícia, Mary Jane escreveu uma carta endereçada ao presidente indonésio, em que pedia para preservar sua vida e assim poder criar os dois filhos. "Como mãe, tenho duas crianças que ainda são pequenas e precisam do amor de uma mãe". Os meninos têm doze e seis anos de idade e, atualmente, vivem com a avó.
bc
  •  
Mary Jane Veloso (Foto: AP)

2 comentários:

  1. SENTENÇA DE MORTE É A MAIOR ENTRADA PARA CORRUPÇÃO.
    APÓS 14 ANOS DE PRISÃO,MARCO ARCHER E 12 CUMPRIDOS POR RODRIGO GULART, DANDO MOSTRAS DE RECUPERAÇÃO E VONTADE DE SERVIR PARA AJUDAR NA ORIENTAÇÃO DOS QUE ESTÃO INDO PELO CAMINHO ERRADO, MUITO MELHOR QUE ESTIVESSEM VIVOS, AJUDANDO, E TESTEMUNHANDO SUAS EXPERIÊNCIAS DO QUE MORTOS. SENTENÇA DE MORTE É UMA "ABERRAÇÃO JURÍDICA" QUE TEM QUE SER FUZILADA PELA GLOBALIZAÇÃO MUNDIAL. QUEM TEM MORAL SUFICIENTE PARA TIRAR A VIDA DE OUTRO HOMEM? O PASTOR? O SENHOR SABE QUEM COMPROU, E REALMENTE É O TRAFICANTE DAS VERSÕES? ESTÁ "LIVRE", E "GARANTIDO" LEGALMENTE NO BRASIL OU EM QUALQUER OUTRO PAÍS PELA AJUDA QUE O "PRESIDENTE DA INDONÉSIA" DEU AO ELIMINAR ARQUIVOS QUE SERIAM DETERMINANTES NAS PRISÕES DOS VERDADEIROS TRAFICANTES QUE, POR CERTO, CONTINUAM COMPRANDO,CONTRABANDEANDO E TRAFICANDO....SABE, TEM QUE TER NOÇÃO DE REALIDADE, DE CRISTANDADE, E NÃO SER LIMITADO EM SUAS ANÁLISES. SOMOS CRISTÃOS,IRMÃOS EM CRISTO JESUS QUE SEMPRE SE COLOCOU AO LADO DOS MAIS FRACOS,ERRADOS E DESPREZADOS PELA SOCIEDADE. QUE TIPO DE SER HUMANO É O SENHOR?????

    ResponderExcluir
  2. http://diretoshumanos.zip.net/ se informar faz bem, nos tira do egoísmo e da mania de julgar o próximo.

    ResponderExcluir