PARE DE FUMAR

PARE DE FUMAR

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Adolescente filho de pastor mata colega de classe de apenas 13 anos em SP


SÃO PAULO - Um garoto de 15 anos, filho de um pastor, torturou e matou um colega de classe de 13 anos. O motivo seria banal: rixa entre estudantes. O crime ocorreu no último dia 6 em Andradina, na 625 km da capital paulista, e os autores só foram descobertos na última sexta-feira.
Segundo o delegado Tadeu Aparecido Carvalho Coelho, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o adolescente planejou o crime e pediu ajuda de outros colegas de classe para executá-lo.
De acordo com o relato do adolescente, ele teria discutido com a vítima, Leonardo Santos Silva, antes das férias de julho. Mesmo depois do retorno das aulas, continuou a pensar em vingança. No dia 6, uma segunda-feira, chamou colegas de classe para ajudar a bater no menino. Apenas um deles, de 13 anos, aceitou participar. "Vou dar um coro nele até matar", teria dito.
Por volta de 15h, depois da aula, o adolescente convidou Leonardo para colher limão num terreno perto da casa dele. O limão seria usado para fazer um chá, conhecido como tererê na região - uma espécie de chimarrão.
- Ao chegar ao local, ele deu uma gravata no menino e passou a surrá-lo. Depois de fazê-lo cair, passou a torturá-lo. Quando o menino desfaleceu, pegou um pedaço de pau e passou a dar pauladas no crânio. O garoto ficou desfigurado - diz o delegado.
O outro menino de 13 anos teria ajudado o autor do crime a dominar o colega, mas disse ao delegado que foi junto porque pensou que era apenas uma surra, não que o amigo fosse matar o outro. Ajudou a empurrar e derrubar o colega, mas teria deixado de agredir quando o mais velho começou a enforcar o menor.
Depois do crime, porém, os dois garotos mantiveram suas rotinas. O crime só foi descoberto porque um outro colega de classe, também de 13 anos, havia sido chamado para a briga e não foi. Quando soube da morte, contou aos pais.
Na última sexta-feira, o adolescente de 15 anos e seu comparsa de 13 confessaram o crime à polícia.
- O adolescente que matou disse que o outro ficava aporrinhando ele, tirando "sarro". Mas a vítima era uma criança quieta e não há registro nenhum registro contra ele na escola. O adolescente também era bom aluno. O primeiro da classe - diz o delegado.
Coelho afirma que outros dois garotos da mesma sala de aula são suspeitos de terem participado do crime, mas as investigações prosseguem.
- O que mais que surpreendeu é que todos são crianças de famílias estruturadas. Nenhum deles tem qualquer envolvimento com drogas.
O delegado afirma que o adolescente de 15 anos pode ser um psicopata.
- Ele torturou e deu várias pauladas. Nenhuma brincadeira, mesmo de mau gosto, poderia levar a uma violência tão grande.
Segundo o delegado, o pastor chorou durante todo o tempo de confissão do filho. O pai do menino de 13 anos que participou da briga disse que irá procurar tratamento psicológico para ele, uma vez que em nenhum momento ele deixou transparecer que havia algo errado.
- O menino disse que ficou com medo e que foi ameaçado pelo mais velho. Mas o certo teria sido pedir ajuda dos pais. Os pais não conseguem entender o que aconteceu - diz o delegado.
A sala de aula perdeu, de uma só vez, três alunos. Caso seja comprovado o envolvimento, perderá mais dois. Perdeu ainda o garoto que contou à polícia que havia uma briga marcada. Os pais dele, temendo represálias, decidiram mudar de cidade.
A polícia pediu recolhimento dos dois envolvidos diretamente no crime na Fundação Casa e aguarda decisão da Vara da Infância e Juventude. O prazo de recolhimento é de três anos. (Fonte O GLOBO Cleide Carvalho)

Resposta :Temos que orar e vigiar , que Deus tenha misericórdia das famílias e eu sempre digo temos que primeiro olhar os nossos problemas e corrigir os nossos defeitos ,temos que pregar o que vivemos realmente , e só querer corrigir os filhos dos outros !

Nenhum comentário:

Postar um comentário