PARE DE FUMAR

PARE DE FUMAR

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Ex-deputado é condenado a 21 anos de prisão por pedofilia no Pará


A Justiça do Pará condenou, nesta terça-feira, o ex-deputado estadual e médico Luiz Afonso Proença Sefer a 21 anos de prisão por abusar sexualmente de uma menina de nove anos. A juíza Maria das Graças Alfaia Fonseca, da Vara Penal de Crimes Contra Crianças e Adolescentes de Belém, também decretou a prisão do ex-deputado que respondia pelo crime em liberdade e o pagamento à vítima de R$ 120 mil por danos morais.Na denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), Sefer pediu que Estélio Guimarães e Joaquim Oliveira trouxessem uma menina do interior do Estado, na faixa etária de oito a nove anos. A menina, que vivia em Mocajuba, foi levada para a casa do ex-deputado com a justificativa que faria companhia à outra criança. Após dois dias, o ex-deputado passou a agredir e abusar sexualmente da menina, além de obrigá-la a ingerir bebida alcoólica. De acordo com o MPE, a menina foi vítima de abusos até os 13 anos.No depoimento à juíza, Sefer negou a autoria do crime e disse que a menina foi trazida para sua casa para estudar. Segundo o ex-deputado, ela fez as acusações porque ele tinha planejado mandá-la de volta para Mocajuba por mal comportamento. No total, foram ouvidas 20 testemunhas do Ministério Público e da defesa do réu. Cinco pessoas foram chamadas como "testemunhas do juízo" para serem ouvidas como informantes.Sefez teve a pena fixada em 12 anos e seis meses de reclusão, que foi aumentada em mais um ano e seis meses pelo crime praticado contra a criança. Pelo crime ter sido praticado de forma continuada a pena aumentou para 21 anos de prisão em regime inicialmente fechado.Sefer é o segundo médico condenado em menos de um mês pelo crime de pedofilia em Belém. O médico hondurenho Hector Puerto foi condenado no dia 27 de maio a 18 anos de prisão.(Fonte Folha.Com)

Resposta: 21 anos ainda e pouco para este crime e por favor coloque este médico para trabalhar dentro do sistema penitenciário cuidado dos colegas de prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário